Imagem meramente ilustrativa.

Tenho muitas roupas e acabo fazendo sempre as mesmas combinações, então me indicaram o Pinterest, aplicativo interessante, pra que eu buscasse ideias de “looks” e assim aproveitasse melhor o que eu já tenho ao invés de ficar na ânsia de comprar peças novas (sou shopaholic, mas desde que efetivamente virei adulta, com contas pra pagar e filhos pra sustentar, venho cuidando disso com todo o afinco do mundo). Hoje resolvi finalmente me aventurar porque ganhei um par de tênis lindos de aniversário e não sabia bem como combiná-los pra não ficar esquisito/pra que eu me sentisse bem (não faz sentido a gente vestir uma coisa e se achar esquisita, né? por mais legal que essa coisa seja!). Catei uma sugestão no aplicativo com peças que eu já tenho, essa aqui:

sugestao pinterest tenis

Simples, confortável e, na minha opinião, bem bonitinho. Quando separei as peças pra vestir, gostei muito. Pus tudo em cima da cama, arrumei direitinho e achei fofo, senti que não ia ter erro porque é o tipo de combinação despretensiosa onde as chances de errar são mínimas. No entanto, quando vesti, tive vontade de arrancar tudo do corpo. Fiquei pensando por alguns minutos qual seria o “xabu” da coisa. Tenho as peças, uso as peças, gosto de todas as peças (camiseta básica, jeans destroyed em modelagem skinny, tênis) e mesmo assim, quando tentei fazer fotos, detestei o “conjunto da obra”… Então atinei: deve ser o meu referencial (no caso, a foto da modelo magra usando as peças).

Esses dias ando “abalada” com a minha auto estima. Talvez seja o período sensível do mês, talvez tenha sido provocado pelas muitas discussões suscitadas no fim de semana com aquela matéria – maravilhosa – da blogueira Ju Romano na revista Elle (já fizeram muitos posts interessantes sobre isso, então resolvi não fazer porque não tenho mesmo nada a acrescentar). Quando olho essa imagem, a da modelo magra, vejo tudo muito proporcional e simétrico. Quando me vejo usando as mesmas roupas, as proporções mudam. Bom, claro que mudam, eu devo ter o dobro ou o triplo do tamanho da modelo.

Acho que fiquei presa na imagem, no quão harmônica ela parece ser porque, desde que o meu mundo é mundo, as imagens de modelos magras são disparadas como referência e isso, gente, fica no nosso banco de dados, querendo ou não. Não consegui visualizar o que rolaria quando as mesmas peças viessem pro meu corpo e, por isso, o tanto de estranhamento quando vesti (coxas grossas demais! mas será que existe isso de “coxa grossa demais” mesmo? coxas são coxas, elas sustentam as nossas pernas, ainda bem que eu as tenho! mas quem não tem, também, não tem porquê se abalar, pra tudo existe um jeito, inclusive pra gente se amar como é!). A auto estima precisa ser exercitada e a minha tá meio carente esses dias. Mas é exatamente por isso que decidi não recuar. Não vou trocar a roupa, afinal, posso não ter 55kg distribuídos no meu 1,75m, mas isso não pode me impedir de usar o que eu quero usar!

Hoje quero me encorajar e encorajar todos vocês a se desafiarem em relação ao que vocês vestem. Não tenham medo do estranhamento, pode ser por conta do referencial. Mas encarem isso, eu estou encarando! O referencial é apenas uma “imagem meramente ilustrativa” e a gente não precisa – digo mais, não deve – se prender a ele. Se você tem as peças, elas vestem você confortavelmente e você gosta da ideia de usá-las, por que não? Use-as! Tente, ouse, liberte-se. Esse é meu desafio de hoje, mesmo estando um pouco “baleada” na auto estima, na auto imagem.

adidas originals

I <3 SALE!

Ando com um pouco de dificuldade de vir até aqui atualizar, mas quis mostrar, rapidamente, as minhas aquisições REMARCADAS da coleção Issa London para C&A. Sério, eu amei MUITO as estampas dessa coleção e queria comprar tudo, mas, de cara, achei tudo caro demais, como já disse em outro post. No entanto, duas semanas depois achei muitas peças remarcadas. A maioria, lisas. As lisas não me interessavam. Mas consegui duas estampas fofas com preços muito mais condizentes!

Vestido com estampa fofinha de "macarons"!

Vestido com estampa fofinha de “macarons”, de 180 dilmas por 70 dilmas, duas semanas depois!

Sapatilhas com estampa de "Soldadinho Britânico", de 70 dilmas por 40 dilmas em duas semanas!

Sapatilhas com estampa de “Soldadinho Britânico”, de 70 dilmas por 40 dilmas em duas semanas!

E aí, será que fiz bons negócios? Na loja da Praça Saes Pena ainda tinha muita coisa em muito tamanho dessa coleção, embora muita peça lisa, mas uma amiga me informou que na loja do Barrashopping está tudo, praticamente, intacto! Não tive tempo (e nem numerário, ó céus!) pra ir lá checar, mas confio na amiga que passou a informação, hein! 🙂

London, London…

Desde que comecei a me interessar mais por “moda”, tenho tentado conferir essas coleções especiais que a C&A lança. É claro que nem sempre consigo ir nas compras antecipadas ou me degladiar com a galera no primeiro dia da coleção (aliás, isso deve ter acabado com a facilidade das compras antecipadas, não?), mas se passo por uma loja na semana de lançamento de alguma coleção, checo.

Hoje, por acaso, ia encontrar o marido no shopping para um almoço (e porque ele precisava comprar alguns equipamentos de futebol americano e queria companhia) e acabei passando por uma loja C&A com a coleção Issa completinha. Ou quase completinha. Tudo tão arrumadinho, sem nenhum sinal de descabelamento feminino, convidativo.

Issa London para C&A. Foto: Divulgação.

Issa London para C&A. Foto: Divulgação.

Não curto TANTO uma coleção especial desde a da Mixed, mas essa da Issa tá absurdamente linda! Morri de vontade de comprar TUDO, mas achei os preços bem “salgados”.  Vestidos, cardigans, camisas e sapatilhas com estampas LINDAS de soldadinhos, macarons, bustos da rainha e outras “cositas más” que rementem à Londres, coisas FO-FAS e que mereciam ter vindo pra casa comigo, não fossem as etiquetinhas de preço… Chorei!

Mas tendo um marido tão amado que percebeu o quão encantada fiquei com a estampa de soldadinhos, acabei saindo da loja com a minha sacolinha recheada com uma calça cigarrette (de 90 dilmas, mas bem acabada e com cara de ser bastante durável)! Fiquei apaixonada e tô doidinha pra usar! Vou ficar só com ela mesmo, apesar de ter AMADO os vestidos que imitam o modelo que a Kate Middleton usou em seu noivado, mas por 180 dilmas vão todos ficar nas prateleiras mesmo… Até o de estampa de macarons… Ai, que dó!

Calça LINDA com estampa de soldadinhos... <3

Calça LINDA com estampa de soldadinhos… ❤

“Lookinho do Dia”.

Ultimamente Dudu anda curtindo essa coisa de aparecer em fotos e aí aproveitei pra brincar de “look do dia” com ele. Uma das coisas mais bacanas de ter filhote pequeno é “brincar de boneca” com ele, hihihihi… Claro que não foi muito fácil fazer as fotos, tive que tirar cerca de trocentas mil pra conseguir uma “menos” borrada, afinal, ele ainda não é uma daquelas crianças super treinadas do Insta em aparecer em fotos de looks (e acho que nunca vai ser, desconfio que ele é um pouco hiperativo ou sei lá qual é o termo correto!)… Mas valeu a brincadeira, foi muito divertido!

Lookinho pra festinha do Josão, no sábado: camisa The Beatles da QVizu, bermudinha estampada da Alphabeto e alpargatas de caveirinha das Lojas Renner. Foto: Ana Togashi.

Lookinho pra festinha do João, no sábado: camisa The Beatles da QVizu, bermudinha estampada da Alphabeto e alpargatas de caveirinha das Lojas Renner. Foto: Ana Togashi.

Lookinho do passeio de domingo: macacão e camisa da Alphabeto e sandálias Ortopé, calçadas na hora de sair. Foto: Ana Togashi.

Lookinho do passeio de domingo: macacão e camisa da Alphabeto e sandálias Ortopé, calçadas na hora de sair. Foto: Ana Togashi.

Só quero que você me aqueça nesse inverno!

Há um tempo tenho visto os famosos moletons aparecerem nas araras das fast fashion para “aquecer” o inverno 2013. Devo confessar que moletom, para mim, poderia ser dividido em três momentos históricos:

a) infância: tipo de roupa prática que minha mãe “enfiava” em mim ao menor sinal de temperatura caindo (os temidos CONJUNTOS DE MOLETOM).

b) adolescência: blusas de moletom com estampas dos parques bacanas de Orlando ou da rede Hard Rock Cafe, originais ou não, que eram “jogados” por cima de uniformes escolares ou qualquer combinação com jeans e tênis.

c) idade adulta: resgatados para servir de “pijama de frio” e nada mais.

É claro que agora os moletons estão super “modernetes” e tudo mais, tem alguns até bem bacanas. Eu vinha resistindo bravamente aos pobres coitados por tudo já citado nas linhas acima, mas ser meio geek, ser meio menininha e ser mãe de um mesticinho foram condições que me tomaram de assalto na escolha do MEU moletom para me aquecer nesse inverno. É, um só mesmo porque além de não estarmos mais nas décadas de 80 e 90, minha reeducação financeira vai muito bem, obrigada!

Moletom "Pikachu" da Garagem Korova. Foto: Garagem Korova.

Moletom “Pikachu” da Garagem Korova. Foto: Garagem Korova.

Coisa mais delícia esse moletom com a cara do personagem de “anime” preferido do Dudu, meu filhote! O meu está a caminho e espero que chegue antes da minha viagem para Belo Horizonte, na próxima quinta (conto tudo, prometo!). Notem que o corte dele é diferente do corte tradicional unissex das blusas de moletom, o que me fez curtir mais ainda essa fofurinha! E me presentear com ela, numa espécie de “presente de aniversário tardio”, com quase um mês de atraso (esse ano não “me comprei” nada de aniversário por “n” motivos). Esse é de uma loja de camisetas que gosto muito, a Garagem Korova, que tem loja virtual. Atendimento que recomendo, viu? Seguro, rápido, fácil.

E vocês, curtem moletom? Já tem um pra chamar de seu?

Meus sapatinhos encantados.

Dia desses, minha cunhada Bárbara me pediu que eu fizesse um blog (ou posts, no caso) sobre como eu me visto porque ela me acha “estilosa”! Nem preciso dizer que fiquei “toda toda”, né? Justo eu, gente! Gordinha, desengonçada e que cada vez que paro pra ler sobre moda descubro que “só sei que nada sei”! Seguinte: o que acontece é que eu tenho peças, modelagens, estampas e cores favoritas (falo sobre elas em outro post, prometo) e tento, ao máximo, brincar com elas. É isso. Basicamente é isso. E, claro, leio umas revistinhas aqui e ali, passeio por uns Instas aqui e ali… E assim vou vendo o que o pessoal usa e penso se dá pra eu usar, experimento nas Fast Fashion da vida quando tenho chance, etc.

Mas acredito que o grande “pulo do gato” pra escolher um “look” sem sofrer muito é começar pelos sapatos. É o que eu faço sempre. Eu separo os sapatos que quero usar e a partir deles tenho uma facilidade maior de escolher que roupa vestir. Não tenho tantas roupas assim e a maior parte delas é em tons neutros, então confesso que “absuso” mesmo nos sapatos. Tenho muitos sapatos de onça, sapatos coloridos, sapatos estampados… E são eles que dão o tom da “produção” que vocês veem, acredito. Até porque a maior parte das minhas fotos de “look do dia” no Insta são da cintura pra baixo devido a falta de um espelho de corpo inteiro em casa (assunto pra outro post, acreditem!).

Tentem começar pelos sapatos! E depois me contem se funcionou pra vocês! 🙂

A "loka" do Animal Print sou eu! :)

A “loka” do Animal Print sou eu! 🙂

@ninatogashi