“Miniversário” do Dudu: o picnic de monstros.

Finalmente rolou a “mini-festa” de aniversário do Dudu e foi um picnic! A maior vantagem foi não precisar alugar espaço, o que implicou numa boa economia. De desvantagens, posso computar o calor (hoje fez cerca de 30 graus no Rio, com sensação térmica de 42!) e a “corrida maluca” pra pegar uma mesa na área de picnics (só tem seis e TODO mundo faz picnic nos fins de semana, pareceu). Como as coisas eram bem simples, combinaram muito bem com o ambiente escolhido: o Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Seguem as fotos sem edição (tô morta de cansaço!), mas com muito carinho! 🙂

 

Detalhes dos cupcakes e algumas lembrancinhas na mesa.

Detalhes dos cupcakes e algumas lembrancinhas na mesa.

DSC_0453

Mesa pronta! Cupcakes, bolo, docinhos e comidinhas salgadas de picnic sobre toalha de TNT e decorados com toppings e faixa impressos por mim mesma!

DSC_0506

Cupcake com a cara do Sulley, minha cunhada que pôs a mão na massa!

DSC_0507

E com a cara do Mike Wazowski também!

DSC_0511

Brigadeiros de copinho: práticos demais.

DSC_0520

Detalhes dos toppings que fiz usados nos mini bolinhos de cenoura.

DSC_0534

E o bolo, com uma pista de corrida/rotatória, atendendo ao pedido do Dudu.

“Miniversário” do Dudu: parte I.

Juro que vou tentar fazer um post completo depois que o aniversário do Dudu passar, mas caso eu não faça isso por falta de organização (porque é basicamente por isso que eu não atualizo esse blog direito!), vou dar uma ideia pra vocês de como eu tô produzindo o “miniversário” dele!

Esse ano temos muitos projetos (que custam dilmas!) e por isso não vamos poder fazer uma festa de aniversário pro filhote. Claro que isso não ia me impedir de fazer uma comemoração bacaninha, né? Eu sou a rainha das coisas bonitinhas e fofinhas, afinal! Então resolvi botar a mão na massa e fazer tudo, do zero. Minhas fiéis escudeiras Dinha e Bárbara, cunhadas multiuso, embarcaram nessa comigo e tá dando tudo bem certo!

Dudu escolheu o tema “Universidade Monstros”. Ele vê esse filme o dia inteiro, se deixar. É o fã número um do Mike Wazowski! Soube que não era difícil encontrar a decoração pronta no SAARA (um centro comercial aqui do Rio de Janeiro), mas optei por desenvolver a papelaria personalizada. Fiz toppings para docinhos/cupcakes, uma faixa de bandeirinhas e latinhas para confeito de chocolate.

Toppings para doces e cupcakes.

Toppings para doces e cupcakes: 50 palitinhos já pintados por 2 dilmas e as imagens foram impressas em casa.

20140310_142343

Bandeirinhas personalizadas impressas em casa! Não reparem na proporcionalidade do Mike e do Sulley, mas foram as melhores imagens para impressão que consegui dos personagens.

20140309_203427Latinhas para confeitos de chocolate: os adesivos feitos na gráfica (50 unidades) saíram por 20 dilmas e o cento das latinhas custou 18 dilmas. Ah, e o saquinho de mini confeitos custou 3,99 dilmas.

Além disso, vou usar bolas (4 dilmas cada saquinho, comprei um azul e um verde), descartáveis e forminhas/saias de cupcakes (4,50 dilmas por 12 saias, essas achei carinhas, mas pra imprimir teria que ser numa gráfica porque minha impressora não suporta papel de gramatura mais alta) azuis e verdes. A toalha da mesa é TNT verde (1,50 dilmas o metro, comprei 2), da cor do Mike Wazowski! Para os saquinhos surpresa, encomendei bótons com as imagens dos personagens (e não ficou caro: cada bóton saiu por 2 dilmas, um preço justo), comprei pirulitos (que vou decorar com uma embalagem personalizada impressa em casa) e fiz pequenos espetinhos com marshmallows das cores dos personagens.

Simples e barato, não? Considerando que minha impressora é aproriada pra fotos e super econômica, gastei muito pouco com papelaria e ficou muito mais bonitinho do que se tivesse comprado tudo pronto. Espero que eu faça fotos boas (essas são de celular, pra enviar por Whatsapp pras minhas parceiras no crime, huehue!) da festinha e me lembre de postar aqui mais detalhes, hehe! Não ficou super profissional, mas dá pra ver que foi feito com muito carinho! Tomara que Dudu goste muito!

Quando? Como?

"I live my life for you, I wanna be by your side in everything that you do..."

“If there’s only one thing you can believe is true: I live my life for you…”

Abandonei muita coisa nos últimos anos… Ter um filho, sem uma programação prévia, mexeu com a minha vida mais do que eu vejo mexer com a vida das pessoas. Tem sempre alguém me dizendo que eu retome minha vida. E eu penso: retomar o quê? A vida que eu tinha antes não mais me pertence. Saí de casa, aprendi (quase que na marra) a me virar em diversos aspectos e a rotina que eu tinha não se aplica mais.

Deixei minhas pretensões fotográficas e literárias para traz porque meu cérebro tá sempre exausto demais para “ser criativo”. Abandonei os blogs, abandonei a câmera. Perdi a vontade de criar. Não escrevo mais diários, crônicas, contos… Nem sequer leio! Passo dias sem ouvir música… Como pode? Só me maqueio se tenho motivo, só me visto bem se vou sair pra fazer algo diferente, o que vem se tornando cada vez mais raro. E não encontro forças pra começar de novo. Não encontro maneiras de começar de novo porque alguém depende de mim pra tudo. E eu teria que depender dos outros, passar o bastão… E os outros, bem, os outros tem suas vidas. Então me resta viver a minha que está cheia de abandonos. De desistências. De coisas que pra eu poder fazer, preciso de alguém que cuide do meu filho.

Minha terapeuta me diz que quando meu filho for um pouco mais independente, eu vou ter que conviver com um grande vazio porque agora passo os meus dias cuidando dele e das coisas dele. É possível. Já sinto um grande vazio agora, um vazio de não produzir nada, como se eu estivesse jogando fora tudo que sabia fazer e que achava bom. Mas ela não tem filhos e não sabe o que é depender dos outros. Taí uma das coisas que mais me chateia: depender dos outros. E pra não depender, me resta fazer tudo sozinha. Fazer tudo sozinha é abrir mão das minhas coisas.

Há uns dias tenho refletido sobre isso. Sempre que alguém aponta o dedo me dizendo que eu tenho que retomar a minha vida, afinal, meu filho já vai completar três anos, fico pensativa. Fico buscando maneiras de conciliar tudo e é sem sucesso. Sento pra escrever e o cansaço mental não deixa. Pego a câmera e percebo que esqueci boa parte das coisas que sabia fazer com ela. Se tenho um tempo livre, começo a ler e durmo em cima das páginas…

Retomar, recomeçar… Quando? Como?