Fat and Fabulous!

Andei preguiçosa de vir até aqui, confesso. Na verdade, tive uns dias de “baixo astral” extremo e, aos poucos, estou voltando às minhas atividades. Hoje queria falar da minha tentativa de aceitação do meu corpitcho nesse mundo cada vez mais “fit”, pode ser?

Já passei por processos severos de emagrecimento e emagreci um monte. Sofri demais com as restrições alimentares e não encontrei qualquer tipo de prazer na prática esportiva. Acho, e talvez esteja achando uma grande bobagem, que nasci muito mais para coisas intelectuais, hehehe. Fato que a minha atividade física favorita é o pilates, um lance mais zen que uma sala de musculação lotada com música tuntz-tuntz, e todo o resto é pura obrigação mesmo.

Há um tempo atrás cheguei na terapia choramingando essa coisa de “estar gorda”. Então a terapeuta, sempre muito franca, me disse: a solução é você estar disposta a passar por um novo processo de emagrecimento. E eu tremi. Não estou, definitivamente, disposta a passar pelas coisas que passei para caber numa calça 38! Eu gosto da minha cervejinha com os amigos, gosto de batatinha frita no fim de semana, mato academia sem dó se estou com cólica ou simplesmente com o sono muito atrasado por conta do Dudu… Claro que se eu pudesse fazer tudo isso e vestir 38, me prevenindo assim do bullying que sofrem aqueles que não cabem num padrão de beleza que, ao meu ver, é pouco compatível com a maior parte dos biotipos existentes, eu toparia! Que mulher não quer caber nas roupas das lojas da moda que, a cada dia que passa, estão menores?

Respondi que dessa vez queria tentar algo diferente, queria aprender a me gostar vestindo 46. Vejo uma galera que faz isso e faz muito bem, adora suas curvas, tem uma auto estima bacana e é linda, de verdade. Queria chegar aí, ao invés de passar horas na academia e beber Whey no lugar de uma refeição.

Não pensem vocês que é fácil. Na hora de comprar uma roupa, por exemplo, rola um grande sofrimento que não rolaria caso eu fosse a Gisele Bundchen e isso, gente, deprime um tanto. Mas então penso em tantas outras coisas… Penso nas roupas que já tenho, em como combiná-las, na melhor maneira de vesti-las, com qual sapato cada roupa vai melhor, etc… E passa.

Ainda tenho muita dificuldade com as fotos que tiram de mim, as pessoas sempre conseguem me deixar maior do que eu me vejo nos meus espelhos, hehehe… Só que, aos poucos, isso vai sumindo também sem me tirar o sono, como fazia antigamente.

Como balanceadamente, frequento academia, me cuido de todas as formas possíveis e imagináveis, mas visto 46, tenho barriguinha e braço gordinho. Sou bonita. Me arrumo, me enfeito, me ajeito. Posso não ser atraente para a maioria das pessoas, mas estou aprendendo a ser atraente para mim mesma. Estou aprendendo a me olhar no espelho e ver muito mais que barriga, braço, bochecha… Aos poucos, bem aos poucos. E isso me faz mais feliz que o dia em que me pesei, depois de uma dieta “braba”, e vi que cabia dentro do IMC (e depois, graças ao meu marido, descobri que IMC é balela).

Brincando de "look do dia" no meu Insta: calça 46 e blusa G.

Brincando de “look do dia” no meu Insta: calça 46 e blusa G.

Um comentário sobre “Fat and Fabulous!

  1. eu sempre te achei e acho linda..isso de peso nao conta muitooo…tem um monte de modelo feia pra dedeu..vc eh uma das pessoas mais bonitas da familia, de verdade..bjinhs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s